O que é gestão educacional e como a tecnologia auxilia as escolas!

Edgar Romanov
Edgar Romanov Notícias
22 Min Read

A gestão educacional é um tema pouco discutido pela sociedade como um todo, mas, ainda assim, muito importante para a manutenção de um bom padrão na qualidade de ensino do país, principalmente levando em consideração que as transformações na sala de aula estão acontecendo com uma frequência nunca antes vista.

É a partir das políticas comuns estabelecidas na gestão educacional que cada instituição de ensino pode criar seu próprio sistema interno de planos e regras. Então, para diretores e coordenadores, entender o conceito de gestão educacional e seus impactos na administração de uma instituição é quase um pré-requisito para as funções.

Sabendo da importância desse assunto, elaboramos um guia completo sobre gestão educacional. Continue a leitura para entender o que, exatamente, significa gestão educacional e como a tecnologia tem ajudado as escolas!

O que é gestão educacional?
A gestão educacional é um conjunto de responsabilidades que garantem o pleno funcionamento das instituições de ensino. Ela envolve o alinhamento de cada instituição com as normas federais, estaduais e municipais que regulam as atividades educacionais no país. É uma base sobre a qual todas as decisões internas das escolas devem partir.

Podemos entender a gestão educacional como um sistema coletivo do qual fazem parte vários agentes. O Ministério da Educação (MEC) e as secretarias de educação estaduais e municipais, por exemplo, são agentes que definem normas que impactam as atividades de faculdades, escolas e outras instituições de ensino que atuam no país.

A principal legislação que fundamenta a gestão educacional no Brasil é a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira (LDB), também conhecida como Carta Magna da Educação.

As diretrizes e bases da LDB foram criadas para garantir o direito à população de ter acesso à educação gratuita e de qualidade, além de valorizar os profissionais da área, estabelecer o dever da União, do Estado e dos Municípios com a educação do país.

Como funciona?
A gestão educacional no Brasil é um processo que resulta da articulação dos diferentes agentes públicos que compõem o sistema educacional a nível municipal, estadual e federal. É um modelo de gestão pública conhecido como regime de colaboração. Cada agente possui atribuições específicas na gestão educacional.

As competências dos diferentes agentes são as seguintes:

  • União — é a União que coordena, articula e redistribui as responsabilidades das demais unidades que compõem a gestão educacional. Ao governo federal, também compete a tarefa de assegurar as normas gerais projeto educacional do Brasil;
  • Estados e Distrito Federal — cada estado do país tem como atribuição especifica planejar suas políticas para o Ensino Médio e para o Ensino Fundamental. É importante que as políticas e os planos educacionais dos estados estejam em consonância com os planos gerais definidos pela União e integrados às ações dos municípios;
    municípios — cabe ao município as atribuições atreladas ao ensino fundamental, junto ao Estado, e à educação infantil. É a secretaria de educação municipal que desenvolve seu sistema de ensino, integrando-o às definições educacionais da União e do Estado.

É a articulação entre as responsabilidades dos agentes de educação do país que permite a construção de uma gestão educacional acessível à população e que mantenha um alto padrão de qualidade.

Quais são os níveis da gestão educacional?
A estrutura da gestão educacional no Brasil tem dois níveis principais, que são a educação básica e o ensino superior. A seguir, entenda como elas funcionam.

Educação básica
A educação básica é a primeira etapa educacional. Seu principal foco é ajudar a construir a formação cidadã dos jovens do país. Para essa tarefa, a educação básica se divide em fases, cada uma delas com objetivos distintos. De modo geral, a educação básica é dividida em:

  • educação infantil — aqui estão incluídas as creches e pré-escolas mantidas pelas prefeituras para as crianças que possuem entre 0 a 5 anos. Essas organizações são gratuitas, embora não são todas as cidades do país que as oferecem;
  • ensino fundamental — formado por escolas do 1º ao 9º ano. Enquanto os municípios gerenciam as escolas da educação inicial (1º ao 5º ano), os estados gerenciam as escolas da parte final do ensino fundamental (6º ao 9º ano);
    ensino médio — a realização do ensino médio (1° ao 3° ano) nas escolas também é de responsabilidade do estado e pode ou não se vincular a um curso profissionalizante

Ensino superior
No caso do ensino superior público no Brasil, as políticas e planos são funções da União, que custeia a estrutura das universidades federais. Também há universidades estaduais que são de responsabilidade do governo do estado.

A autorização de abertura e a fiscalização de faculdades privadas também são feitas pelo Governo Federal, por meio do Ministério da Educação (MEC). Embora tenha mais autonomia, também deve cumprir todas as diretrizes para educação.

A LDB também inclui nas bases da gestão educacional do país algumas modalidades de educação específicas. Por exemplo:

  • educação indígena.
  • educação a distância;
  • educação profissional e técnica;
  • educação de Jovens e Adultos (EJA);
  • educação especial (para alunos com limitações físicas e intelectuais);

Qual é a importância para a educação?
Todos os países estabelecem diretrizes para que a população tenha acesso ao sistema educacional e possa contribuir com a sociedade de diversas maneiras, realizando mudanças e agregando habilidades. No Brasil, essa gestão é composta por diversos agentes e desempenha funções importantes para o país. Veja quais são elas abaixo!

Promoção de uma educação acessível a todos
A Constituição Federal e a LDB, que é a principal legislação educacional do país, estabelecem que o acesso à educação é um direito de todos os brasileiros. Cabe aos membros da gestão educacional permitir que a lei seja colocada em prática.

As diferentes instâncias governamentais (em nível federal, estadual e municipal) têm responsabilidades para assegurar que todas as pessoas recebam uma educação de qualidade. Portanto, se as escolas são acessíveis e têm equipes bem preparadas, é por conta de políticas e planos nacionais de educação abrangentes.

Aplicação das metodologias de ensino das escolas
As metodologias de ensino abrangem todas as ferramentas e os processos que os educadores utilizam para transmitir os conhecimentos aos alunos. A gestão educacional estabelece diretrizes que influenciam a metodologia de ensino que as instituições adotam para cumprir os propósitos de cada etapa da educação.

Em suma, as políticas educacionais robustas em vigor garantem que o ensino e a aprendizagem fluam da melhor forma possível nas escolas.

Padrão na qualidade do ensino nacional
As políticas e planos nacionais que regem a gestão educacional visam garantir um alto padrão na qualidade do ensino.

Os gestores de escolas, quando fundamentados nas políticas e planos nacionais de educação, estarão preparados para trazer o que há de melhor em infraestrutura educacional para dentro de suas instituições de ensino. Os professores, por sua vez, poderão trabalhar com tecnologias e metodologias de ensino eficazes.

Qual é a diferença entre gestão educacional e gestão escolar?
Apesar de semelhantes, a “gestão educacional” e a “gestão escolar” são nomes que se referem a processos distintos. Enquanto a gestão educacional é o sistema de normas que regem a educação do país a nível municipal, estadual e federal, a gestão escolar é o conjunto de normas internas de cada instituição de ensino.

Em poucas palavras, a gestão educacional é a organização da educação do país no nível macro, ou seja, o conjunto de normas gerais que regem todas as instituições. Já a gestão educacional é a organização da educação no nível micro: cada instituição tem a sua própria.

É a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) que ampara o modo como cada instituição de ensino realiza a sua gestão escolar. A Carta Magna da Educação garante, dentre outras coisas, a autonomia de cada escola (pública ou privada) para tomar suas decisões pedagógicas, administrativas e financeiras.

Porém, toda gestão escolar deve estar em conformidade com as determinações da gestão educacional do país. Da mesma forma que a LDB assegura a autonomia das escolas, ela também estabelece, por exemplo, que todas as escolas públicas e privadas são obrigadas a produzir um Projeto Político Pedagógico (PPP).

Portanto, os responsáveis pela gestão escolar, se quiserem fazer suas instituições crescer e prosperar, devem estar atentos às normas gerais da gestão educacional do país.

Como funciona a gestão educacional?
Sua atuação é conduzida a partir de seis pilares principais:

  • gestão pedagógica — aqui estão os responsáveis por planejar as metodologia de ensino aplicadas em sala de aula, os conteúdos e diretrizes gerais da instituição e o acompanhamento do desempenho de alunos e professores. Normalmente, os dois responsáveis por essa área são o diretor da escola e o coordenador pedagógico;
  • gestão acadêmica — é a gestão e atualização dos dados dos alunos (documentação e matrícula) e demais processos internos da instituição.
    gestão financeira — aqui estão todos os processos atrelados à receita, inadimplência e alocação de investimentos na escola;
  • gestão de recursos humanos — também conhecido como gestão de pessoas, a área abrange os processos relacionados à avaliação e o acompanhamento de equipes. Esse setor trabalha em conjunto com a gestão pedagógica para a contratação de educadores alinhados com a proposta de ensino da escola;
  • gestão da comunicação — aqui estão os responsáveis pelas estratégias de comunicação interna e externa da escola. Eles trabalham para a captação de novos alunos e o reforço da reputação institucional;
  • gestão da tecnologia da informação — envolve as atividades ligadas ao cuidado com os equipamentos, a implementação de sistemas para eliminar burocracias e melhorar a gestão como um todo;
  • gestão administrativa — é o setor responsável pelas atividades de gerenciamento de recursos físicos e financeiros da escola, gestão de bens materiais e patrimônio, estrutura física e recursos disponibilizados para o programa pedagógico.

Qual é a importância da gestão escolar?
A espinha dorsal de uma escola é a sua gestão administrativa e operacional. De finanças a recursos humanos, essas funções centrais são semelhantes às encontradas em qualquer organização de grande porte. Sem elas, nenhuma escola pode funcionar de forma eficaz.

As pessoas que são responsáveis pela gestão escolar determinam como a educação é ministrada e o que ela precisa para se desenvolver e progredir no futuro. As funções administrativas também dão suporte ao corpo docente para entregar essa estratégia aos alunos e manter as instalações educacionais funcionando.

Embora possam não estar diretamente envolvidas na realização de atividades pedagógicas e projetos educacionais, sem os serviços administrativos e financeiros que garantam o funcionamento de uma instituição de ensino, todos os envolvidos podem sofrer as consequências.

Por fim, é a gestão escolar que fornece aos alunos um espaço seguro e protegido no qual eles podem aprender. Desenvolver alunos saudáveis e capazes de aprender emocional e fisicamente é crucial para o sucesso da educação.

Quais são as qualidades de uma boa gestão escolar?
Como vimos até aqui, a gestão educacional é fundamental para o sucesso dos planejamentos e das atividades executadas que impactam uma instituição de ensino. Mas, afinal, o que exatamente caracteriza uma boa gestão escolar? É o que veremos na lista:

  • comunicação — a gestão escolar depende da comunicação entre uma variedade de pessoas dia após dia. De alunos a funcionários e pais, os responsáveis pela gestão precisam entender como se comunicar em todas as situações;
  • adaptar-se rapidamente às mudanças — os melhores administradores escolares são bons em adaptação. Basta ver o que aconteceu entre 2019 e 2020. A pandemia da Covid-19 forçou as escolas a implementar o ensino a distância em questão de dias. E muitos responsáveis pela gestão fizeram um trabalho fenomenal com esse processo;
  • visão de melhoria contínua — existem dezenas de maneiras pelas quais a gestão escolar pode promover uma visão de melhoria na escola. Incluindo a melhoria das relações entre pais e professores, processos tecnológicos, orçamentos e muito mais;
  • atualização de sistemas antigos — a tecnologia está evoluindo tão rapidamente, que é um processo assustador converter as escolas para serem totalmente sem papel. À medida que a tecnologia é atualizada, os administradores escolares precisam ser instruídos sobre como usá-la. Mais pessoas de TI precisam estar por perto para manter a tecnologia em sua melhor forma, e inúmeros outros problemas surgem;
  • bom corpo docente — os professores são fundamentais para uma escola de sucesso e, se houver alguns que não seguem a dinâmica da instituição, eles podem afetar todos os aspectos da gestão. Professores ineficazes podem dar má reputação à gestão da escola e inibir o aprendizado de turmas inteiras de alunos.

Hoje, as escolas estão desconstruindo a concepção de uma gestão autoritária, que se baseia em um único responsável ou em um grupo pequeno de diretores responsáveis por tomar todas as decisões acerca de como as coisas devem funcionar.

Nos últimos anos, há uma adesão maior a uma concepção de gestão democrática e participativa das escolas, que dá a possibilidade de a comunidade escolar participar de decisões importantes que afetam todos os envolvidos.

Como a tecnologia pode ser aplicada na gestão escolar?
As escolas devem se manter a par das mais recentes ferramentas de gestão para uma melhoria constante do serviço oferecido aos alunos e seus responsáveis. As tecnologias também podem ajudar as instituições de ensino a cumprir as normas definidas pelos órgãos de gestão educacional.

Felizmente, vários tipos de tecnologia educacional podem ser adotados hoje. Elas dão suporte às diversas práticas administrativas e pedagógicas das instituições de ensino. A seguir, entenda mais sobre como a tecnologia pode apoiar a escola em sua gestão.

Integrar diferentes áreas da escola
Todos os departamentos de uma escola, os acadêmicos ou de administração, estão interconectados, criando um fluxo constante de informações sobre desempenho de alunos, funcionários, professores, mensalidades e muito mais. Por isso, a gestão escolar de hoje exige significativamente uma integração de sistemas.

A integração das atividades pode ser feita por meio de um ERP educacional. Essa é uma sigla para Enterprise Resource Planning que, traduzindo da Língua Inglesa, significa Planejamento dos Recursos da Empresa. Trata-se de um software de gestão que automatiza processos manuais, armazena dados e unifica a visualização de resultados.

A característica mais significativa do ERP é sua capacidade de integrar todas as atividades relacionadas a uma empresa. Para uma escola, o ERP educacional integra todos os pilares da gestão escolar (gestão pedagógica, gestão financeira, gestão administrativa, gestão da comunicação, gestão de pessoas e gestão do tempo) em um único local.

Agilizar a tomada de decisões
Os dados digitais estão mudando a maneira como os professores atuam e como a gestão escolar funciona. Hoje, em uma gestão orientada por dados, coletar e analisar informações de um aluno faz parte de como as escolas acompanham e melhoram seu desempenho. Ao processo de tomar decisões orientadas por dados, dá-se o nome de data driven.

Quando os professores usam dados para direcionar suas aulas e planos, eles são capazes de saber quando é o momento de mudar os métodos de ensino, onde os alunos sentem mais dificuldades e como incentivar as habilidades que eles precisam.

Existem várias maneiras pelas quais os diretores, gestores e professores podem tomar decisões baseadas em dados. Uma das mais práticas é investir em uma única solução que integre vários processos da escola e forneça uma visualização dos resultados em um único lugar. Dessa forma, fica mais fácil avaliar o desempenho dos alunos e tomar decisões.

Em uma plataforma como essa, os professores podem visualizar informações abrangentes sobre o progresso dos alunos, incluindo detalhes sobre frequência, assistência médica, médias e suspensões.

Vale ressaltar que todas as políticas de uso de dados dos alunos, professores e outros funcionários da escola devem ser acompanhadas por fortes medidas de segurança de dados.

Aumentar a produtividade
Os serviços baseados em nuvem oferecem a capacidade de trabalhar de qualquer lugar. Assim, as equipes podem ser produtivas tanto em casa quanto no escritório.

Com dados em tempo real disponíveis por meio de compatibilidade com dispositivos móveis, os funcionários podem marcar presença durante as viagens escolares, atualizar seus horários em movimento, reservar salas de aula especializadas quando necessário, comprar equipamentos e ter os dados essenciais dos alunos na ponta dos dedos.

Armazenar documentos na nuvem
A nuvem é uma das tecnologias com papel significativo na gestão escolar moderna. A adoção de serviços de computação na nuvem permite que as instituições de ensino reduzam custos operacionais, melhorem a acessibilidade entre os funcionários e ainda aumentem a conectividade na relação entre alunos e professores.

As ferramentas na nuvem são executadas por meio da internet, sem que o professor, aluno ou qualquer funcionário tenha que instalar arquivos em seus dispositivos. Isso garante uma acessibilidade incrível a um fluxo de dados, uma vez que não é preciso investir em computadores caros para acessar os dados da instituição.

Facilitar a gestão escolar
A gestão escolar é muitas vezes desafiadora. Poder contar com o apoio da tecnologia para integrar etapas, agilizar processos e dinamizar o dia a dia da instituição é extremamente positivo.

Além de possibilitar um controle maior e mais organizado de tudo o que acontece, é possível tomar decisões mais justas, coerentes e que possam trazer ainda mais resultado para os alunos.

Share This Article
Leave a comment

Deixe um comentário